quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Instituto Dagaz estimula contribuintes a doarem Imposto de Renda

Que tal ver, de fato, para onde vai seu imposto?! Essa é uma proposta que o Ponto de Cultura Instituto Dagaz levanta para os contribuintes. Em vez de destinar o tributo ao governo, parte do valor pode ser abatido por meio de doações para entidades beneficentes, como ONGs (Organizações Não-Governamentais) e projetos culturais. O processo, ainda pouco conhecido, é feito no próprio programa gerador da declaração, que também informa o limite de dedução para esse fim.
As atividades exercidas pelo chamado terceiro setor – organizações de iniciativa privada, sem fins lucrativos e que prestam serviços de caráter público – complementam o que é não é oferecido suficientemente pelo poder público à população. Mas para a manutenção e execução de projetos, instituições como o Instituto Dagaz dependem de apoiadores que ajudem a patrocinar desde equipamentos a locomoção, no caso de trabalhos itinerantes.
No site da Receita Federal, há informação sobre a possibilidade da pessoa física optar por doações aos fundos que são controlados pelos conselhos do idoso, da assistência social, da criança e do adolescente. Nesse caso, o contribuinte é quem define o fundo para onde quer doar, no momento em que preenche a declaração do Imposto de Renda. As doações estão limitadas a 3% do imposto devido, observado o limite global de 6% para deduções de incentivo.
- Nós desenvolvemos projetos socioeducativos e culturais em muitas cidades do Sul Fluminense, além das aulas rotineiras no Condomínio Cultural. Fazemos parcerias com prefeituras, que em geral dão o suporte para a execução, e contamos com apoios como do Instituto CCR, por meio da NovaDutra, e da MRS Logística. Mas o que fazemos para atender crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social, principalmente, necessita de um suporte amplo, pois suprimos o que o poder público não oferece – considerou a coordenadora Clarisse Netto.
Como doar
No ato do preenchimento da declaração, o contribuinte deve entrar na ficha “Doações diretamente ao Estatuto da Criança e do Adolescente”, por exemplo, situado
no resumo geral do programa. Em seguida, é necessário selecionar um ou mais fundos cadastrados na lista fornecida. A última etapa é informar o valor da doação, que deve respeitar o limite de dedução calculado automaticamente pelo software. Alguns fundos permitem, ao doador, optar pela instituição que irá receber os recursos. No entanto, o dinheiro precisa passar pelo fundo para contar com o benefício fiscal.
Os fundos são ligados às prefeituras e o contribuinte – pessoa física ou jurídica – que quer dar um destino certo ao Imposto de Renda, pode obter mais informações nos sites do governo municipal e pelos telefones dos conselhos: www.voltaredonda.rj.gov.br; Conselho da Criança e do Adolescente (24) 3339-2461; Conselho do Idoso (24) 33399113; Conselho da Assistência Social (24) 33399592.

Nenhum comentário:

Postar um comentário