sexta-feira, 15 de julho de 2016

Cinestesia participa da 15º Mostra do Filme Livre

Projeto exibe produções independentes pelo Brasil




O Cinestesia Cineclube, projeto do Instituto Dagaz, apoiado pelo Instituto CCR por meio da CCR Nova Dutra, abrigará a 15ª Mostra do Filme Livre.  A Mostra do Filme Livre (MFL), completa 15 anos e mais uma vez estará nos quatro Centros Culturais Banco do Brasil, de março a agosto. Serão exibidos 205 filmes selecionados dos 1.342 inscritos, a maioria (90%) feito sem verbas públicas, ou seja, filmes independentes. Obras de todo o Brasil que, muitas vezes, terão a MFL como sua primeira e/ou única exibidora nos cinemas.

A MFL será gratuita e vai também percorrer o circuito de Cineclubes Livres, que em 2015 teve 2.700 espectadores em mais de 60 cidades. “São 200 filmes que mostram a versatilidade, a poesia e a potência do cinema possível brasileiro, agora, hoje!”, fala Guilherme Whitaker, curador da mostra.
São 161 Cineclubes inscritos na Mostra do Filme Livre, que participam da ação Cineclubes Livres 2016. Esses Cineclubes estão espalhados em 106 cidades de 24 estados e, juntos, irão realizar 331 sessões da 15ª MFL.


“Será nossa terceira participação no evento. Nossos resultados sempre tiveram grande relevância para a continuidade na mostra. O Dagaz se sente profundamente feliz pelo reconhecimento das ações produzidas como Ponto de Exibição”, explica Marinez Fernandes, presidente do Dagaz.


O Cinestesia Cine Clube é um espaço acolhedor e democrático, com objetivo de fomentar a cultura e a arte cinematográfica, descentralizando o acesso que ainda é restrito a uma minoria da população, considerando que uma das razões é o alto preço das sessões nos cinemas da cidade. O Programa está de acordo com a tridimensionalidade da cultura atendendo aos três eixos: a Cultura Cidadã (garantia de direito conforme a CF de 1988), o Simbólico (atendimento por escolhas de curtas e médias metragens) assim como o Econômico (fruição e divulgação). O projeto faz parte de um programa do Instituto Dagaz que conta com atividades e eventos e parcerias com a Secretaria de Estado de Cultura/RJ, Ancine, Rio Filme, CCR Concessionária Nova Dutra, Conselho Municipal da Criança e do Adolescente e do Conselho Tutelar.
O Instituto Dagaz firma o compromisso de democratização do acesso da cultura, das artes e da informação, sobretudo o fortalecimento de territórios e o pensamento crítico. Cinestesia é movimento e o cinema é justamente isso. Movimenta não somente os sentidos, mas, sobretudo, as ideias, sentimentos e sensações.
O programa foi multiplicado e hoje atende também ao DEGASE (para adolescentes em privação de liberdade), além de oito cidades no Médio Paraíba, bem como a Baixada Fluminense e área metropolitana da Capital.


Sobre o Instituto CCR
O Grupo CCR criou em 2014 o Instituto CCR, entidade privada, sem fins lucrativos, para estruturar a gestão de projetos sociais, culturais, ambientais e esportivos apoiados há mais de dez anos pela empresa. O Instituto CCR vai otimizar a utilização de recursos próprios da companhia e oriundos de leis de incentivo em projetos estruturados em quatro áreas: Saúde e Qualidade de Vida; Educação e Cidadania; Cultura e Esporte; Meio Ambiente e Segurança Viária. O Grupo CCR apóia o desenvolvimento sustentável, socioeconômico e cultural nas regiões onde atua, com a experiência de ter levado mais de 500 projetos para 120 cidades que, desde 2003, já beneficiaram 7 milhões de pessoas com investimento de R$ 185 milhões em projetos estruturados. O Instituto CCR vai ampliar a estratégia do Grupo visando consolidar a maior empresa de infraestrutura da América Latina, em um dos maiores investidores sociais privados do país. Com o Instituto CCR, a companhia fomenta ainda mais a cultura brasileira e o desenvolvimento da cidadania nas regiões onde o Grupo CCR atua.



SERVIÇOS
SESSÃO PREMIADOS
Ruby (Jorge Loureiro, Guilherme Soster, Luciano Scherer, 17 minutos, 2014, RS)
Subsolos (Simone Cortezão, 33 minutos, 2015, MG)
Carruagem rajante (Lívia de Paiva, Jorge Polo, 22 minutos, 2016, RJ).
Duração da sessão: 72 minutos. Classificação indicativa: 12 anos
Exibição: 15 de julho, 5 e 26 de agosto.
Sempre às 19:00.
Local: Condomínio Cultural, Volta Grande III - Volta Redonda.


SESSÃO MUNDO LIVRE
Parque soviético (Karen Black, 10 minutos, 2013, RJ)
Indian wells (Lucas Boskovitz, Thomas Arruda, 17 minutos, 2015, SP)
Escape from my eyes (Felipe Bragança, 33 minutos, 2015, RJ)
Sugar freeze (Louise Botkay, 10 minutos, 2011, RJ)
Duração da sessão: 70 minutos. Classificação indicativa: 14 anos.
Exibição: 22 de julho e 12 de agosto.
Filmes feitos por brasileiros no exterior.
Sempre às 19:00.
Local: Condomínio Cultural, Volta Grande III - Volta Redonda.
SESSÃO LONGA LIVRE
Mataram meu irmão (Cristiano Burlan, 77 minutos, 2013, SP)
Exibição: 29 de julho e 19 de agosto.  Classificação indicativa: 12 anos
Sempre às 19:00.
Local: Condomínio Cultural, Volta Grande III - Volta Redonda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário