sexta-feira, 24 de julho de 2015

CHEF GUGA ROCHA CELEBRA PARCERIA COM INSTITUTO DAGAZ EM SEU PROJETO UM SABOR DE LIBERDADE





Guga Rocha e hoje um dos nomes mais celebrados da nova geração de chefs brasileiros. Com experiências em diversos países como Itália, Portugal, Espanha, Tailândia, Canadá e França, Guga faz uma cozinha criativa, imprevisível, leve e rica em sabores. Fruto de sua continua pesquisa da cultura nacional aliada a uma curiosidade pela diversidade e exotismo da gastronomia mundial. Guga ganhou notoriedade com quadro Super Chef do programa Mais você, da Rede Globo, em 2010 no qual ele se destacou tanto que foi chamado no ano seguinte para comandar o quadro Blitz do Chef no mesmo programa. Em 2012, virou um dos apresentadores do Homens Gourmet, do canal FOX Life, se destacando cada dia mais, não só por ser uma figura, ou por sua cultura vasta e conhecimento de causa, mas principalmente por conseguir tocar as pessoas e ensina-las a cozinhar se divertindo. Hoje faz parte da equipe do Programa da Tarde na Record.


O Instituto Dagaz, após o sucesso do Livro A Cozinha dos Quilombos, que mapeou vinte nove comunidades remanescentes de quilombos do Estado do Rio de Janeiro, soma sua experiência em pesquisa e memória social com o Projeto Um Sabor de Liberdade do Chef Guga Rocha, um projeto voltado para a cultura culinária quilombola brasileira. Tendo Alagoas como ponto de partida buscou-se as raízes mais profundas da cozinha nacional, visando o salvaguardo dessa cultura para valorizá-la como uma parte fundamental da nossa identidade e nosso orgulho.

O objetivo que a cultura brasileira seja celebrada em sua diversidade como forma de crescimento humano e fomento de renda pela utilização do autoconhecimento como ferramenta de mudança e evolução de um povo.
Com ingredientes únicos e altamente nutritivos, a cozinha quilombola e uma deliciosa combinação de sabores que faz sua boca salivar. Acrescente o tempero e conhecimento do pesquisador e Chef Guga Rocha que viajou pelos recantos mais distantes do Brasil buscando as origens mais profundas da nossa história gastronômica.  São mais de 300 receitas catalogadas, um verdadeiro tratado sobre cozinha quilombola.

O projeto foi incentivado pela Lei Rouanet e está em fase de análise do PROAC/SP.



Nenhum comentário:

Postar um comentário